sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

O que você vai ser quando crescer?



Oi...

O que eu vou ser quando crescer?

Vocês se perguntavam isso quando eram crianças? Eu tinha uma ideia fixa na cabeça, quer dizer, não tão fixa. Eu queria ser médica, mas isso foi até a 7ª série. Depois disso, eu queria ser jornalista. Mas isso foi até a 8ª série. Porque, depois disso, eu realmente não tinha a menor ideia do que queria ser... Na verdade, foi como ser eu pensasse que não haveria nada depois do Ensino Médio. Eu vivi o ensino médio sem pensar no que viria depois. E... me ferrei. Por quê?

Porque em meados do meu terceiro ano eu tive que mudar de cidade. Sair do interior do Maranhão e ir para a capital do Ceará. Bem, mas e daí? E daí que no meu novo colégio não se falava em outra coisa a não ser em vestibulares, faculdades... E eu tive que decidir em uma semana o que eu queria fazer da vida, decisão esta que eu havia ignorado por quase três anos. Por que em uma semana? Porque eu teria que fazer as matérias específicas para cada curso.

Enfim, parando de enrolação, não foi uma boa esquecer do futuro durante meu ensino médio, como também não foi uma boa ser forçada a tomar decisões precipitadas.

Posso dizer que o que eu escolhi foi pura e espontânea pressão das pessoas com as quais eu estava vivendo, não tinha nada a ver com medicina ou jornalismo, rsrs, e eu não estudei isso, afinal de contas.

Mas aprendi algo com essa experiência. Você nunca deve seguir o que as pessoas dizem. Elas podem até querer o seu melhor, mas você só vai aprender vivendo! E o futuro é seu, é você quem vai depender do sucesso dele ou não, portanto não se deixe influenciar por ninguém que não seja sua consciência. Além disso, é sempre válido buscar informações, tanto sobre os cursos e as cadeiras estudadas, como sobre a profissão em si e suas diversas vertentes. Informação nunca é demais e eu senti falta disso.

Ainda hoje existe um preconceito em todas as camadas sociais à respeito das profissões. Medicina, Direito e Engenharia. Não existe só isso. Se você escolheu uma dessas por afinidade e vontade própria de realizar algo de bom nessa profissão, parabéns. Mas não escolha simplesmente para satisfazer sua família ou por status. Arrependimento é algo difícil de lidar e não tão bom de se viver!

See you. o/

Um comentário:

Caçadora de Livros disse...

Parabéns pela postagem!
Muita gente escolhe por pressão e não por vocação, o que é complicado.
Bjs,