terça-feira, 10 de abril de 2012

Será que dá?

No último post, eu disse que iria tomar as rédeas da minha vida e cuidar para que, daquele momento em diante, eu fosse a única responsável pelas minhas atitudes. Mas, porra (perdão), como isso é difícil!!!

Não só ser responsável pelas suas atitudes, mas tomar as corretas. Saber seguir em frente, saber a hora certa de recuar e de dar a vez ao outro. Descobrir como viver numa comunidade. Aceitar as diferenças e conter seus ímpetos. Sou uma pessoa altamente extravagante em termos de personalidade. Me conter não é fácil. Às vezes, acho que é inútil tentar mas ainda tento (ou não?).

Medo. Sinto medo de não conseguir atender às expectativas (dos outros ou as minhas?). Acho que preciso provar algo a mim mesma. Provar que sou capaz de conseguir o que eu quiser, não importa o que os outros digam ou pensem ou queiram.

Eu vou conseguir! 

Abraços.

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

E a vida evolui... Você querendo ou não!

Não adianta. Nada do que fazemos, tudo o que deixamos de fazer. Nada para o tempo. E, com o tempo, vem a maturidade (ou assim espera-se). Com o tempo vem a evolução.

E eu estou gostando da forma como a minha vida está evoluindo. Estou com medo, não me sinto preparada. Mas, acima de tudo, sinto que é o melhor. Tenho certeza que não será fácil, mas também tenho certeza que terei todo o apoio da família, dos amigos e do amor.

Então por que relutamos tanto em evoluir? Em seguir em frente, em deixar o passado para trás? Pela comodidade? Acredito que sim. Não me considero uma pessoa de atitude, não me considero hábil o suficiente para decidir meu futuro e lutar por ele. Estou meio que sendo empurrada em uma direção, uma que eu nunca pensei em seguir. Mas, decidi que não quero que continue sendo dessa forma. Decidi que quero tomar as rédeas da minha vida, fazer a diferença na MINHA vida, para só então fazer a diferença na vida de outras pessoas.

Para o bem ou para o mal, estou vivendo. E assim permanecerei se me for permitido.

Abraços.

sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

O que você vai ser quando crescer?



Oi...

O que eu vou ser quando crescer?

Vocês se perguntavam isso quando eram crianças? Eu tinha uma ideia fixa na cabeça, quer dizer, não tão fixa. Eu queria ser médica, mas isso foi até a 7ª série. Depois disso, eu queria ser jornalista. Mas isso foi até a 8ª série. Porque, depois disso, eu realmente não tinha a menor ideia do que queria ser... Na verdade, foi como ser eu pensasse que não haveria nada depois do Ensino Médio. Eu vivi o ensino médio sem pensar no que viria depois. E... me ferrei. Por quê?

Porque em meados do meu terceiro ano eu tive que mudar de cidade. Sair do interior do Maranhão e ir para a capital do Ceará. Bem, mas e daí? E daí que no meu novo colégio não se falava em outra coisa a não ser em vestibulares, faculdades... E eu tive que decidir em uma semana o que eu queria fazer da vida, decisão esta que eu havia ignorado por quase três anos. Por que em uma semana? Porque eu teria que fazer as matérias específicas para cada curso.

Enfim, parando de enrolação, não foi uma boa esquecer do futuro durante meu ensino médio, como também não foi uma boa ser forçada a tomar decisões precipitadas.

Posso dizer que o que eu escolhi foi pura e espontânea pressão das pessoas com as quais eu estava vivendo, não tinha nada a ver com medicina ou jornalismo, rsrs, e eu não estudei isso, afinal de contas.

Mas aprendi algo com essa experiência. Você nunca deve seguir o que as pessoas dizem. Elas podem até querer o seu melhor, mas você só vai aprender vivendo! E o futuro é seu, é você quem vai depender do sucesso dele ou não, portanto não se deixe influenciar por ninguém que não seja sua consciência. Além disso, é sempre válido buscar informações, tanto sobre os cursos e as cadeiras estudadas, como sobre a profissão em si e suas diversas vertentes. Informação nunca é demais e eu senti falta disso.

Ainda hoje existe um preconceito em todas as camadas sociais à respeito das profissões. Medicina, Direito e Engenharia. Não existe só isso. Se você escolheu uma dessas por afinidade e vontade própria de realizar algo de bom nessa profissão, parabéns. Mas não escolha simplesmente para satisfazer sua família ou por status. Arrependimento é algo difícil de lidar e não tão bom de se viver!

See you. o/

segunda-feira, 10 de outubro de 2011

Dúvidas

No decorrer da vida, temos muitas dúvidas.

Quem vamos ser quando crescer? Quem somos depois de crescer? Me tornei a pessoa certa? Aquela que eu almejava ser? Quando colherei os frutos de minhas atitudes?

Passo por momentos onde questionamentos são frequentes. Me pergunto se estou no caminho certo, se terminei a faculdade certa, se sou a pessoa certa... Só queria não ter tantas dúvidas.

Apesar disso, tenho algumas alegrias e momentos que me fazem esquecer dos problemas e da falta de confiança. Só queria que fossem mais frequentes.

Inté.

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

Novos Caminhos

Olá.

Fiz este blog em 2007 com a intenção de colocar pra fora alguns sentimentos que estavam pulando aqui dentro de mim. Só fiz duas postagens. E as apaguei hoje, com o objetivo de atualizar isto aqui e tornar uma coisa um pouco mais séria e frequente.

Continuarei escrevendo sobre meus sentimentos. Além disso, escreverei também a minha opinião sobre diversos aspectos da vida, da sociedade, do entretenimento, enfim... Do que der vontade.

Não pensem que escrevo em busca de um ouvinte (seria muito bom se isso acontecesse). Meu principal objetivo aqui é simplesmente externalizar meus pensamentos, pois até mesmo compartilhar com desconhecidos (perdoem-me) é melhor que guardar para si.

Para um primeiro momento, é só!

Inté!!